Mastodon

Perondi tem série de problemas no Brasileiro de Kart

Falta de rendimento no motor, aliada a problemas elétricos e de equipamentos frustraram qualquer expectativa do piloto em Vespasiano

Pedro Perondi Brasileiro de Kart - Darkside Karts
Pedro Perondi já teve problemas semelhantes durante o Open (Foto: Darkside Karts)

Problemas atrás de problemas. Este foi o resumo da participação de Pedro Perondi na categoria Mini 2T do 58º Campeonato Brasileiro de Kart. Falta de desempenho no motor e no carburador, além de uma falha elétrica, atrapalharam os planos do piloto no certame encerrado dia 18, no Kartódromo RBC Racing, em Vespasiano (MG).

Campeão da Cadete no Grupo 1 da competição, realizada em outubro no Circuito Internacional Techspeed, o competidor apoiado por CPAF Fertilizantes, Doc Men, PJR Têxtil e CNP Supply buscava mais um título na maior competição do kartismo nacional. Desta vez, no Grupo 2, destinada aos motores 2 tempos.

Esta não foi a primeira vez que Perondi enfrentou situação semelhante no mesmo kartódromo. “Desde o Open (do Grupo 2) tivemos muitos problemas com os motores e carburadores, que, infelizmente, não tinham solução”, ressaltou. Segundo o piloto, todas as tentativas de melhorar o desempenho não surtiram efeito. “Ainda assim, fizemos a tomada de tempos e participamos de todas as baterias sem abandonar nenhuma delas, nem quando meu motor dava apenas 77 km/h na reta, enquanto o normal desta categoria é passar de 100/km/h.”

Perondi reclamou com propriedade, uma vez que conquistou a pole position na Copa Brasil, sediada no Kartódromo Beto Carrero, em Santa Catarina, em julho. Mas, no circuito mineiro, foi apenas o 16º na tomada de tempos, dois segundos mais lento que o líder.

A falta de desempenho dos equipamentos – fornecidos pela organização, por meio de sorteio – continuaram nas classificatórias. Nas duas provas, terminou em 12º e em 16º respectivamente, tendo de largar na pré-final na mesma 16º posição.

Na corrida de definição do grid da final, abandonou na 8ª volta devido a problemas elétricos no motor. Largou em 15º e terminou a prova neste mesmo posto, agora por falhas no motor e no carburador.

“Minha equipe e eu fizemos tudo o que estava ao nosso alcance, mas nestas condições era impossível conquistar algo melhor”, lamentou o piloto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *