Mastodon

Sena Jr. vence as duas categorias do Gaúcho de Kart Indoor

O caxiense Luíz Sena Jr. dominou o pódio da edição 2023 do Gaúcho de Kart Indoor (GKI) de Pista Coberta. O piloto da Associação Desportiva Caxiense (ADESCA) levou o troféu de primeiro lugar nas duas categorias da competição: a Master (85kg) e a Graduados (100kg). Mas, se engana quem acredita que a conquista foi fácil.

Primeiro, devido ao frio que resolveu dar o ar da graça em Porto Alegre. A ele, somou-se a troca de traçados no Piquer Kart Porto Alegre, feita em cada bateria de ambas as categorias. Por fim, pelas disputas por posições intensas em todas as corridas.

Ou seja: Seninha, como é conhecido, teve de tirar alguns coelhos da cartola para subir ao lugar mais alto do pódio.

Confira como foi o GKI 2023

Ao todo, 22 pilotos se inscreveram para o GKI – o único campeonato de kart rental chancelado pela Federação Gaúcha de Automobilismo (FGA). Destes, 13 participaram da Master e nove da Graduados. Nem por isso, faltou briga nas baterias.

Leia mais notícias sobre Kart Rental

MASTER: Batalha dura entre Seninha e Pedrinho

Eram pouco mais de 15h quando os competidores da categoria dos mais leves entrou na pista. E, quem viu apenas essa corrida, talvez achou que outro piloto do interior gaúcho levaria o troféu.

Afinal, Pedro Henrique Santos dominou a prova que percorreu o layout tradicional da Piquet Kart Porto Alegre.

Bateria 1

O jovem piloto imprimiu um ritmo tão forte que, em 20 minutos, abriu 21,5 segundos de vantagem para o segundo colocado, Sena Jr. Ainda por cima, colocou uma volta a partir do quinto.

Fecharam as cinco primeiras posições Laerton Souza Jr., Bruno Machado e Rafael Giordani – 3º, 4º e 5º, respectivamente.

Dessa forma, ficou fácil prever que o guri levaria o caneco de maneira fácil. Mas, não foi bem assim.

Bateria 2

A mudança ocorreu já na segunda bateria. Com grid invertido, Pedrinho largou na última posição. Na pole, um dos pilotos mais jovens do grid: Theodoro Junqueira D’Azevedo, de apenas 12 anos e 1,50 metro de altura.

Porém, ao contrário da corrida 1, esta foi mais agitada. Tanto que as primeiras voltas foram marcadas por toques e sons fortes de batidas. Afinal, quem estava atrás queria pular para a frente. Só que, quem estava na frente, não queria ficar atrás.

Mas, a experiência contribuiu nessa hora e Sena Jr. venceu a bateria 2, mas não com o domínio esperado. Ele, Mathias Sartori e Lucas Agliardi se mantiveram sempre próximos, tornando qualquer erro fatal.

Ficou assim até o final e Laerton Souza e Diego Schroder completaram os cinco primeiros. Pedrinho ficou apenas na sexta posição.

Final da MASTER

A definição do grid para a bateria final levou em consideração a soma dos pontos nas corridas anteriores. Sendo assim, Sena Jr. largou na primeira posição. Com isso, o piloto precisou “apenas” conter o ímpeto de quem estava atrás para se sagrar o campeão.

Só que, claro, uma coisa é o planejamento e outra é o que realmente acontece. E o experiente competidor não teve vida fácil, pois Pedrinho queria levar essa para casa.

Laerton bem que tentou fazer parte da festa, mas não conseguiu. Seninha e Pedrinho ficaram juntos o tempo todo e toques foram inevitáveis ao longo dos 20 minutos de prova. Tanto que a diferença entre os dois, na bandeirada, foi de apenas 193 milésimos.

Resultado final

Como a última bateria somava o maior número de pontos, Sena Jr ficou com o primeiro lugar do pódio, com 50 pontos. A quatro pontos de distância ficou Pedro Henrique, seguido de perto de Laerton Souza Jr (41 pontos), Mathias Sartori (38) e Bruno Machado (36).

As demais posições foram:

6. Rafael Giordani
7. Diego Schröder
8. Jean Picolotto
9. Cassiano Dalmas
10. Matheus Milani Menegaz
11. Cauê Thomé Sbaraini
12. Lucas Dolfini Agliardi
13. Theodoro Junqueira D’Azevedo

Sena Jr. na ativa no GKI
Campeão da Seletiva KWC da KMKZY na ativa no GKI (Foto: Rodrigo Dias)

GRADUADOS: Duas em três

Se a vida de Luiz Sena Jr. não foi fácil na categoria Master, podemos dizer o mesmo da sua participação na Graduados. Porque, assim como ele, alguns pilotos dos “leves” também fechou o grid para a dos “pesados”.

E, apesar de vencer duas das três baterias, em duas a diferença entre os dois primeiros foi de menos de um segundo.

Bateria 1

Podemos dizer que esta foi a vitória “menos difícil” do campeão da Seletiva KWC da KMKZY. Largando da frente, se preocupou mais em administrar a vantagem para Laerton ao longo das 24 voltas no traçado tradicional do complexo esportivo.

Tanto foi que a diferença entre eles foi de 3,3 segundos. Aliás, quem não teve vida fácil foi justamente Laerton, que ficou menos de 3 décimos de segundo à frente de Bruno Machado, o terceiro posto nessa bateria.

Pedro Henrique e Jean Picolotto fecharam os cinco primeiros.

Bateria 2

Da mesma forma que na categoria Master, a organização do GKI inverteu o grid para a segunda bateria na Graduados. Assim, Tais Enzweiler, a única mulher da competição, largou na pole. Ou seja, um prognóstico de boas disputas, ainda mais em um traçado no sentido inverso.

E, enquanto os que vinham atrás buscavam os postos da frente, Taís fez um bom trabalho no início da bateria. Perdeu terreno aos poucos, mas não se envolveu em acidentes, e fez o que buscava: ganhar experiência.

Já no meio da prova, Laerton estava na ponta, seguido de perto de Seninha e Bruno Machado. E, quando falamos perto, é perto mesmo, já que a diferença entre os três primeiros foi de 0,4 segundos.

Para fechar os cinco primeiros, houve uma pequena inversão da corrida anterior: Jean Picolotto encerrou em quarto, com Pedro Henrique em quinto.

Final da GRADUADOS

Se o adversário principal na Master foi Pedrinho, na Graduados foi Laerton. Ambos chegaram à última bateria com uma vitória e o mesmo número de pontos. Em resumo, quem chegasse na frente, venceria.

E Laerton bem que tentou levar a melhor nesta edição do GKI. Perseguiu Sena Jr. o tempo todo, mas às vezes perdia terreno quando o assunto era negociar posição com retardatários.

Adversários como Bruno Machado, Pedro Henrique e Jean Picolotto bem que tentaram fazer sua parte, mas foram vítimas do desgaste dos karts: os três tiveram que trocar de veículo em algum momento, prejudicando suas estratégias.

Tanto que Bruno e Pedro ficaram em penúltimo e em último nessa bateria, respectivamente. Já Jean, por ter notado o problema antes da bandeira verde, fez uma boa prova de recuperação.

E, assim como na primeira bateria, Luiz Sena Jr venceu, com apenas seis décimos de segundo à frente de Laerte, o vice-campeão.

Resultado final

Com os problemas enfrentados pelos adversários, o caneco da categoria Graduados do GKI ficou com Luiz Sena Jr, que marcou 52 pontos. Também quatro pontos atrás, ficou Laerton Junior, Picolotto um pouco mais distante, marcando 39 pontos.

As demais posições foram:

4. Bruno Machado
5. Anderson Biansini
6. João Pedro Marangoni
7. Pedro Henrique Santos
8. Tiago Milioli da Rocha
9. Taís Enzweiler

Nome marcado no GKI na FGA

Por ser um campeonado sob chancela da FGA, Sena Jr. vai ser um dos pilotos homenageados na cerimônia de premiação de fim de ano da Federação. Este, aliás, é um dos grandes incentivos do GKI para os pilotos de kart rental.

“Quando assumimos a gestão, ficamos surpresos com a modalidade, que é muito grande”, conta Cláudio Telles, diretor do Departamento de Kart da FGA. “A gente busca essa proximidade com os pilotos para mostrar as vantagens de trabalhar e de participar de um campeonato federado”, acrescenta.

Segundo ele, o evento de premiação é muito mais que a valorização dos campeões. “Todos os pilotos do automobilismo, do kart rental ao Turismo RS 1.4, receberão essa homenagem, que é um momento de integração entre todos.”

Guilherme Salvador Corso, organizador do GKI deste ano, concorda. Para ele, a chancela da FGA é mostra a força do kart rental para os pilotos gaúchos. “É uma porta de entradfa para o (kart) profissional e o apoio da federação coloca o nosso certame em outro tamanho”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *