Mastodon

Brasileiro de Kart: Brasil conhece seus 16 novos campeões

58º Brasileiro de Kart Grupo 1 e 7º Brasileiro de Kart Rotax se encerraram neste sábado (14), no Circuito Internacional Techspeed (RS).

Troféu do 58º Campeonato Brasileiro - Rafael Pierre
Solenidade de abertura mostrou o troféu da competição (Foto: Rafael Pierre)

As finais do 58º Campeonato Brasileiro de Kart Grupo 1 e do 7º Campeonato Brasileiro de Kart Rotax não poderiam ser diferentes. O sol brilhou no Circuito Internacional Techspeed, em Nova Santa Rita (RS), desde o início da manhã deste sábado e esquentou as disputas na pista.

Ao todo, 16 categorias – nove do Grupo 1 e sete da Rotax – conheceram seus campeões, que terão um ano para ostentar os títulos em suas estantes. Confira como foram as competições a seguir.

F4 Super Sênior Master e F4 Sênior 60+

Eram pouco mais das 10h30min quando a corrida que agrupa os grids dos pilotos com mais idade entrou na pista. O que se viu foi um domínio de Carlos Saderi (Murilo Kart Competições), que largou bem, manteve a ponta e administrou a vantagem para os demais.

A briga mesmo acontecia atrás dele, principalmente envolvendo os pilotos Paulo Sant’Anna (V11 Kart Team) e Ricardo Castro (Marquinhos Competições). Porém, quem viu a prova notou disputas limpas e sem maiores problemas.

Tanto que Saderi recebeu a quadriculada com 2,8 segundos de vantagem para Sant’Anna. Muito atrás dele chegou Fausto de Sá, completando os três primeiros da F4 Super Sênior Master.

Pela F4 Sênior 60+, o título ficou com Valdemiro Oliveira (PCR Motorsport), com Ricardo Castro (Marquinhos Competições) como vice-líder e Dagnor Schneider (Morschbarcher Competições) em terceiro.

Rotax Micro Max e Rotax Mini Max

Logo depois foi a vezda Rotax Micro Max e Rotax Mini Max. Juntas, compuseram um grid de 12 pilotos, em duas disputas de título em uma só corrida.

O público viu um domínio de Edward Kirst (BR Goffredo Racing Team/Rotax Mini Max). Largando da pole, só precisou administrar, enquanto os demais se enroscavam atrás dele. Ao fim de 13 voltas, Kirst conquistou o título da Mini Max, sendo seguido por Lucas Kuhn (L8 Racing) e Lourenço Varela (Sisdeli Competições) – quarto e sétimo na prova, respectivamente.

Na Micro Micro Max, o título ficou com Pedro Campos (WKR Team), o segundo na prova. Francisco Rocha (Car Racing) e Lucas Ferreira (AJM) completaram o pódio, após concluírem a final em terceiro e em quinto.

Rotax Max Master

A terceira disputa do dia teve uma volta a menos do que a programada, devido ao alinhamento dos pilotos. Porém, quando a bandeira verde foi acionada, Rodrigo “Digão” Soares (Massoni Racing) caiu três posições logo na primeira curva, pois ficou mais preocupado em monitorar o líder Dennis Dirani (Murilo Kart Competições).

Este, aliás, não teve muitas preocupações ao longo das 16 voltas da corrida. Precisou apenas administrar, enquanto Digão e Fernando Croce (Speed Kart Racing Team) brigavam para saber quem ficaria em segundo. Em alguns momentos, Digão descontava a desvantagem para Dirani, mas não teve muito efeito.

Com isso, Dirani conquistou o campeonato da Rotax Max Master com 908 milésimos de segundo de vantagem sobre Digão, com Croce em terceiro.

F4 Júnior

Uma das categorias com mais pilotos inscritos (34 no total), a F4 Júnior entregou muita disputa por posição em praticamente todo o grid. Enquanto nos pelotões intermediário e do fundo do grid houve muito “bate-bate”, na frente a história foi diferente.

Tanto que o piloto Heitor Farias (Betel Raacing) só garantiu o título na última volta, após travar belas disputas com Nicollas Loretti (SKM Racing), Yuri Morelli (CRG Brasil) e Igor Vacari (RP Racing). Este último viu suas chances de pódio caírem por na disputa pela segunda posição: quis aproveitar a ultrapassagem de Farias sobre Morelli, mas bateu roda e rodou.

No fim, Farias saiu vitorioso, com Loretti em segundo e Morelli em terceiro, enquanto Vacari fechou apenas na 10ª posição.

Mirim

A prova dos pequenos mostrou que não se tem idade para fazer uma prova cerebral. Pedro Campos (WKR Team), empolgado com o título na Rotax Micro Max, largou bem e ficou na ponta. Durante algumas voltas, liderou um comboio de seis pilotos, mas não durou muito tempo.

Isso porque Bernardo Gubert (Techspeed Racing Team), que havia saído em décimo, assumiu a ponta já na quinta volta. Quem permaneceu ali, em segundo, foi Matias Dominguez (Marquinhos Competições). E foi aí que mostrou toda a sua sagacidade.

Ao longo de oito voltas, permaneceu nesta posição até se preparar para o bote. No miolo, na última volta, ultrapassou Gubert para fechar em primeiro. Atrás dos dois, chegou Campos, após uma bela recuperação.

Super F4

Com 15 pilotos, a Super F4 foi uma das corridas mais movimentadas – e tensas – do dia, com muitas trocas de posições – principalmente na liderança. Por exemplo, Murilo Fiore (Fiore Motorsport) apareceu em primeiro, em terceiro, em quinto, mas finalizou a prova em sétimo.

E, a cada volta, a tensão aumentava dentro do circuito de 1.500 metros. As disputas ficaram mais quentes, como a entre Olin Galli (CRG Brasil) e Bruno Grigatti (PCR Motorsport). Ao tentar ultrapassar o adversário, Galli foi espremido diversas vezes, perdendo muitas posições.

Grigatti até que fechou a prova em primeiro, mas devido à sua atitude antidesportiva, foi penalizado e caiu para 8º. E Eduardo “Dudu” Araujo (RP Racing), que não tinha nada a ver com isso, viu o título cair no seu colo. Galli conseguiu finalizar em segundo, com Alain Sisdeli (Sisdeli Competições) completando o pódio.

Rotax DD2 e Rotax DD2 Master

Fim de semana com sol combina com passeio, e Rafael Reis (Techspeed Racing Team/Rotax DD2) fez isso com louvor. O piloto simplesmente não tomou conhecimento dos adversários de ambas as divsões para vencer a prova geral com 10,8 segundos de vantagem. Bem mais atrás, Vasco Pedro (MFS Racing) e Victor Manzini (BR Goffredo Racing Team) completaram o pódio nesta categoria.

Agora, na Rotax DD2 Master, a história foi completamente o contrário. Durante boa parte da prova, João Cunha (Techspeed Racing Team/Rotax DD2 Master) e Fernando Guzzi (Leo Kart Racing) dividiram as curvas para saber quem conquistaria o título na geral. Mas, quis o destinho que nenhum deles levasse o troféu para casa.

Na última curva da última volta, Cunha forçou uma ultrapassagem, jogando o adversário para fora. Com isso, Lucas Souza (MFS Racing) viu o título cair em seu colo. Atrás dele, vieram Luiz Antonio da Silva (TR3 Motorsport) e Diego Lozov (Car Racing).

F4 Sênior

Deu a lógica na categoria com o maior número de inscritos do campeonato. Com 43 karts dividindo a pista, certo que, além de diversas trocas na liderança, houve muitos enroscos – principalmente na última volta.

Foi difícil saber quem levaria o título. Quando parecia que Felipe Leite (By Laco Chassis Performance) – que largara na 14ª posição – receberia a bandeira quadriculada, recebeu um “chega pra lá” de Flaviano Ramos (Ramos Racing). Ambos foram ultrapassados por Roberto Wuthstrack (Ceccatto Racing).

Entretanto, o piloto (junto de outros 12) foi punido por ter cruzado a linha com o painel frontal solto. Nisso, quem se sagrou campeão foi Ramos, seguido de Leite e Luciano Garcia (Japa Motorsport).

Cadete

A imprevisibilidade deu o tom na categoria dos competidores com idades entre 8 e 11 anos. Desde o início da prova, Lourenço Varela (Sisdeli Competições), Pedro Faria (Morschbarcher), Pedro Perondi (Tyson Racing) e Felipe Sanches (James Motores Racing) variavam na liderança da prova.

E, a partir da 12º, é que o título ficou entre dois pilotos: Varela e Perondi se desgarraram dos outros adversários e fizeram uma briga dupla. O segundo estimulava o líder a permanecer na frente, para poder pegar o vácuo – e desestabilizá-lo. Deu certo.

Perondi cruzou a linha a 16 milésimos de segundo à frente de Varela. Sanches completou o pódio.

Rotax Max

A final da Rotax Max foi uma das mais tranquilas de se ver. Isso porque Allan Croce (CRG Brasil), o campeão, foi protegido por Rafael Croce (CRG Brasil) nas duas primeiras voltas. Segurou tanto o pelotão que, ao ser ultrapassado na terceira volta, viu seu parente já ter quase 4 segundos de vantagem sobre os demais.

Enzo Grando (SKM Racing) e Giuliano Raucci (BR Goffredo Racing Team) bem que tentaram fazer o jogo de vácuo, mas foi insuficiente para diminuir a desvantagem. Allan conquistou seu primeiro título, com Grando e Raucci em segundo e em terceiro, respectivamente.

F4 Graduado

Como perder um título conquistado a partir da segunda metade da final? Uma das formas é com o painel frontal solto. E quem sentiu na pele esse desgosto foi Guilherme Figueiredo (FR Competições). Apesar de chegar em primeiro, caiu para o quarto posto após ser um dos punidos devido a esta regra.

Por outro lado, quem abriu um sorriso largo foi Felipe Prieto (Sisdeli Competições). Encerrou a prova chateado, após uma tentativa frustrada de jogo de vácuo com Rafael Vasco (Tibola Competições), para buscar o então líder da prova. Mas, tudo mudou com a confirmação da penalização do adversário.

Os dois subiram uma posição e, assim, Prieto foi declarado o campeão da categoria, com Vasco no vice. Frederico Bueno (Sisdeli Competições) também foi agraciado com um terceiro lugar.

F4 Super Sênior

A penúltima final da competição foi feita em duas etapas. A primeira, contou com 15 das 17 voltas. Este ato foi tranquilo, com pilotos fazendo troca de vácuo em busca do melhor posicionamento para o final.

A segunda, mais frenética, com os até então parceiros se tornando adversários em busca pelo lugar mais alto do pódio. E tudo foi resovido na última volta, quando Luciano Tavares (By Laco Chassis Performance) – o segundo -, tentou forçando uma ultrapassagem sobre Nilfredo Alves (PCR Motorsport), o líder.

Quem se deu bem foi Saul Leite (Piccoli Competições), que até figurou na liderança no início da prova. Ele se aproveitou do enrosco entre os dois para cruzar a linha em primeiro e garantir o troféu. Tavares até chegou em segundo, mas foi punido – assim com Alves -, com ambos saindo do pódio.

Com isso, Jorge Fernandes (Ceccatto Racing) e Marcos Adriano (Fernandes Competições) chegaram terminaram a competição como vice-líder e terceiro, respectivamente.

Rotax Júnior Max

Coube aos 11 pilotos da Rotax Júnior Max o encerramento da competição. A expectativa era para uma disputa envolvendo o pole Gustavo Bonk (RP Racing), mas o sonho de levar o título acabou ainda na primeira volta. Tocado por um adversário, caiu para o último posto, mas conseguiu terminar em sétimo.

Alheio ao problema de Bonk, Lucas Paiva (BR Goffredo Racing Team) construiu um enredo soberbo para levar o troféu. Na quarta volta, assumiu a ponta para não sair mais. Nem ser ameaçado por outros.

Sendo assim, Pedro Lima (Kartzoom) chegou em segundo, com Nicolas Loretti (SKM Racing) em terceiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *