Brincadeira não é bagunça, galera

Fazia muito tempo que não participava de alguma corrida virtual. Sabe como é: como meu volante deu pau, precisei me readaptar à condução por meio de um joystick. Agora, me senti à vontade para voltar às competições virtuais. Porém, no mesmo momento, vem aquela vontade de gritar por trás da tela: “BRINCADEIRA NÃO É BAGUNÇA”.

Vale explicar o motivo dessa “revolta”.

Finalmente, retornei às corridas “ranqueadas” no RaceRoom Racing Experience. Caso você não saiba, simuladores como este meu preferido e o iRacing disponibilizam corridas 24 horas em seus servidores. É uma forma de conhecer pessoas do mundo todo e colocar a sua habilidade à prova.

Contudo, nem todos os “pilotos virtuais” são gente boa. Aliás, muitos parecem incorporar o Pateta no trânsito. Se você nunca esse episódio, dá o play no vídeo abaixo.

Imprudência, imperícia e irresponsabilidade

Uma coisa precisa ficar clara: nem todos os pilotos virtuais têm carteira de motorista. Eu mesmo comecei nos simuladores com meus 13 anos, então eu não tinha noção alguma sobre direção nas ruas. Mas, claro, sabia como me comportar nas pistas.

Entretanto, parece que muitas pessoas estão acostumadas com a NASCAR e seu esfrega-esfrega nos circuitos. Com isso, colocam os carros no primeiro “buraco” que aparece, não importa em que volta estejam.

Só que a conta vem.

Por exemplo, o famoso “dive bomb”. Não é algo que se possa fazer a torto e a direito. A gente precisa ter cautela para não errar e não nem a nossa corrida, nem a do amiguinho.

Entretanto, parece que a galera se lembra que simulador é um jogo. Como os estragos não são reais, tocam o “f0d4-s3” e já era.

Ao juntarmos tudo isso, temos a definição completa de irresponsabilidade.

Por que precisamos ter responsabilidade?

Para explicar melhor, me permita uma analogia.

Imagina que você está com os amigos numa quadra de futebol. A proposta é se divertir, não? Em um primeiro momento, a resposta é “sim”. Mas, se formos mais adiante, veremos que não é bem assim.

Afinal, o futebol é um esporte. Por mais que possa haver empate, todos que o praticam querem vencer. Mesmo que seja uma brincadeira.

O mesmo vale com o automobilismo virtual.

Quem está ali também quer vencer os que dividem o grid naquele momento.

Então, por que estragar a corrida dos outros só porque a tua não saiu como o esperado?

Brincadeira não é bagunça

Este texto foi, mesmo, um desabafo. Retornar ao automobilismo virtual me lembrou os motivos de evitar as corridas ranqueadas. Mesmo que isso signifique demorar para integrar uma equipe virtual.

Porque, sim, eu acredito que tenho potencial para integrar. Mas, para isso, precisamos de disputas sadias dentro dos servidores.

Algo que o tempo mostra que está muito difícil de acontecer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *